EnglishVery recently, a Theravada book was delivered in the Temple for free distribution… It was MY mistake to allow the publication to be passed to whoever came to the Temple and took it, because the fact is that the information in the book is not only misleading, but also wrong, and, if only I had read the book before making it available, people would not have taken home something like that! Well, I am talking about a book that shows people (mainly from Chinese background) how to pay respect to the ancestors. In the book it is said that the Buddha praise the act of making offerings of food, drinks and fragance to the Devas (Gods) in their shrines as a worthy deed. It is to clarify this statement that I´d like you to read this article.

lakshmi_puja_on_diwali-diwali-301_big

Most Buddhists know (or should know!) that there are Six Realms in which one can be born, all of them belonging to the so called Samsara, the circle of continuous death and rebirth. The Devas Realm (rebirth as a deity) is only one of them, consider as a superior rebirth, opposing to lower rebirths (demons, hungry ghosts and animals). What is important to notice is that a Deva is NOT superior to a Human Being.

D 1731Devas can live for many thousand years, they have beautiful bodies (some of them not even have bodies at all), magic power and many other “attractive characteristics” that may make people dream about being born as a Deva, but, it is very important to bear on mind that all these features that make Devas “so special” are bounded to end, because, after thousands and thousands of years, a Deva loses his/her power and falls back onto a Human rebirth, to restart a long journey, searching for the Dhamma. So, is it worthy to spend such a long lifespan as a Deva??? Is it really so nice to be a Deva when you know that your power and beauty and great life will also come to an end and you have to restart your life as a Human Being?? Is it worthy or just an illusion, a waste of  precious time?

franewMany Suttas talk about Devas and Heavenly Realms such as Tavatimsa and Tushita and these texts have fascinated so many people for hundred years. It´s time to make fantasy clear and see things the way they really are and not as fairy tales that, no matter how beautiful they sound, only mislead our practice of Dhamma and hold us away from Nibbana as explained by the Master.

Devas, up to a certain extent, can interact with us – from the parallel Universe where they live, it´s possible for them to see our world and if (and only IF) they want, they CAN EVEN protect us, but that does not mean that THEY HAVE to do so, because it´s not their duty. In fact, the Devas are busy with their own lives and activities. They party, drink, have fun, a sexual life full of sensual pleasure and also problems, such as fights, envy, jealousy and wars – yes! wars against other Kingdoms and their enemies and arch-enemies, the Yakhas (also called Asuras) – another kind of existence in Samsara.

So, supposing that with such a busy life the Devas are going to help you whenever you cry for them, is a risky expectation that can only bring you suffering and disappointment – sooner or later. As Humans, our relationship with the Devas must be as the Buddha REALLY taught us: Whenever you produce GOOD KAMMA, that means – MERIT, transfer it to the departed ones, to living beings that need support and also to the Devas, so that as they finnish their lifespans as Devas, they are able to get a Human rebirth in an environment where they can finally listen to the Dhamma and develop their minds to achieve Nibbana.

Whoever says that the Buddha said that we have to make offerings of food, drinks and other material things for the Devas, DOESN´T KNOW the Teachings of the Buddha as they really are! Whoever teaches that the Buddha praised this kind of offering, is terribly mistaken about the Dhamma and following such a misleading teaching can not bring any benefit to our mental cultivation. Be very careful about these things and do not follow practices that will only bring hindrances to your life as a real Buddhist. Always transfer MERITS to the Devas, this is a MENTAL PRACTICE that does not require any material requisite! It can be practice through offering Dana (meals) for the Monks in the Temple or any kind of generous deed you practice to cultivate dettachment from material things. Any good Kamma creates merits and they should always be shared with meedy Humans and Devas as well. This is what the Buddha taught us, anything else is a distorcion of the Dhamma… Sukhi Hotu!

____________

PortuguêsBem recentemente, um livro Theravada foi entregue aqui no Templo para distribuição gratuita. Foi MINHA falha permitir que a publicação fosse passada a quem veio ao Templo e a pegou, porque o fato é que a informação no livro é, não somente desorientante, mas também errada e, se ao menos eu tivesse lido o livro antes de o tornar disponível, as pessoas não teriam levado para casa algo assim! Bem, estou falando sobre um livro que ensina devotos (principalmente de origem Chinesa) como respeitar os ancestrais. O livro diz que o Buddha elogia o ato de fazer oferendas de comida, bebidas e perfumes aos Dêvas (Deuses) em seus santuários como sendo algo válido. É para esclarecer essa afirmativa que eu gostaria que você lesse esta matéria.

A maioria dos Buddhistas sabe (ou deveria saber!) que existem Seis Reinos nos quais alguém pode nascer, todos pertencentes ao assim chamado Samsara, o ciclo contínuo de morte e renascimento. O Reino dos Devas (renascimento como ser celestial) é um deles e considerado como um renascimento superior, quando comparado a renascimentos inferiores (demônios, fantasmas famintos e animais). O que importa é notarmos que um Dêva NÃO é superior a um Ser Humano.

Dêvas podem viver por muitos milhares de anos, têm corpos muito bonitos (alguns nem ao menos têm um corpo físico), poderes mágicos e muitas outras “características atrativas” que podem nos fazer sonhar em renascer como um Dêva, mas, é muito importante tem em mente que todas essas condições que tornam os Dêvas “tão especiais” estão fadadas a terminar, porque, após milhares e milhares de anos, um Dêva perde seu poder e cai de volta no renascimento Humano, para recomeçar uma longa jornada, em busca do Dhamma. Então, vale a pena gastar uma existência tão longa assim como um Dêva??? Será que é tão bom assim ser um Dêva quando sabemos que seu poder, beleza e vida grandiosa vão também acabar e você terá que recomeçar sua vida como Ser Humano?? Será que vale a pena ou é somente uma ilusão e perda de tempo precioso?

Muitos Suttas (Escrituras Buddhistas) falam sobre os Dêvas e os Reinos Celestiais tais como Tawatimsa e Tushita e estes textos têm fascinado pessoas durante centenas de anos. Está na hora de tornar a fantasia clara e ver as coisas como elas realmente são, não como contos de fadas que, não importa o quão bonitos sejam, apenas desorientam nossa prática do Dhamma (Ensinamento verdadeiro do Buddha) e nos mantém afastados do Nibbána como nos foi explicado pelo Mestre.

Os Dêvas, até um certo ponto, podem interagir conosco – do Universo paralelo onde eles vivem, é possível nos ver em nosso mundo e se (somente SE) quiserem, podem ATÉ MESMO nos proteger, mas isso não significa que eles TÊM QUE fazer isso, porque não é obrigação deles. De fato, os Dêvas têm muitas ocupações com suas próprias vidas e atividades. Eles fazem festas, bebem, se divertem, têm uma vida sexual cheia de prazeres sensuais e também problemas, tais como brigas, inveja, ciúme e guerras – sim! guerras contra outros Reinos, seus inimigos e arqui-inimigos, os Yákhas (também chamados Assúras) – outro tipo de existência no Samsara.

Então, esperar que com uma vida tão movimentada os Dêvas vão ajudar você toda vez que gritar por socorro, é uma expectativa bem arriscada que só pode trazer sofrimento e decepção – mais cedo ou mais tarde. Como Humanos, nosso relacionamento com os Dêvas tem que ser do modo que o Buddha REALMENTE ensinou: Toda vez que produzirmos BOM KAMMA, o que significa MÉRITO, o transferimos para os falecidos, para os seres vivos que precisam de apoio e também para os Dêvas, para que ao final de suas existências como Dêvas, possam ser capazes de um renascimento Humano num ambiente onde possam finalmente ouvir o Dhamma e praticar o desenvolvimento mental para chegarem ao Nibbána.

Quem quer que afirme que o Buddha nos disse para fazermos oferendas de comida, bebida e outras coisas materiais aos Dêvas, NÃO CONHECE o Ensinamento do Buddha como realmente é! Quem quer que ensine que o Buddha incentiva esse tipo de oferenda está terrivelmente enganado sobre o Dhamma e, seguir esse tipo de ensinamento desorientador não pode trazer benefício algum para nosso cultivo mental. Tenha muito cuidado com essas coisas e não siga práticas que apenas vão lhe trazer obstáculos na sua vida como Buddhista de verdade. Sempre transfira MÉRITOS aos Dêvas, isto é uma PRÁTICA MENTAL que não necessita de nenhum material! Pode ser praticada através da oferenda de Dána (refeições) para os Monges em um Templo ou qualquer ato generoso que você pratique para cultivar o desapego aos bens materiais. Qualquer bom Kamma gera méritos e deve sempre ser compartilhado com Humanos em necessidade assim como com os Dêvas. Isto é o que o Buddha nos ensinou, qualquer coisa fora disto, é uma distorção do Dhamma… Sukhi Hotu!