Namastê!

Cada vez mais a Ciência e a tecnologia vêm comprovando o que o Buddha já sabia há quase 3.000 anos: a mente humana tem potencial ilimitado! Sempre evoluindo e, cada vez mais distante do período de estupidez que viveu na Idade das Trevas, a Humanidade se supera a cada dia, com novas descobertas e avanços em todas as áreas.

A nível idividual, no entanto, muitas pessoas se deixam bloquear e parecem até gostar de impedir o próprio cultivo mental. Isto ocorre toda vez que seguimos crenças que impõem dogmas que impedem as pessoas de tomarem decisões por si mesmas. Apavoradas com medo do castigo, da ira de um deus que as vigia como uma câmera de Big Brother, essas pessoas têm medo de transgredir as regras que consideram eternas e imutáveis. Isto as inibe intelectualmente.
Outras não precisam nem mesmo de uma Religião retrógrada! Seus próprios posicionamentos em relação ao mundo já são suficientes para limitá-las. Não se sentem capazes de evoluir e estão sempre achando que só os outros conseguem as coisas boas da vida. Admiram a inteligência alheia e menosprezam a própria capacidade mental.
Ora, o Buddha afirmou que SOMOS AQUILO QUE PENSAMOS. Portanto, se dissermos constantemente para nós mesmos que NÃO SOMOS CAPAZES DE ALGO, nossa mente se convencerá disto de tal forma, que nos tornará incapazes de qualquer coisa. É fácil notar isso no comportamento das pessoas quando as ouvimos dizer: “Como sou burro!” ou “Que idiota que eu sou!” ou ainda “Só mesmo alguém como eu poderia fazer essa besteira!” Ao dizermos frases do gênero, estamos condicionando nossa mente a acreditar em uma incapacidade irreal. A mente humana é capaz de muito mais do que podemos imaginar e, se a incentivarmos e cultivarmos, obteremos, gradativamente, resultados fantásticos que podem mudar nossas vidas.
O Buddhismo nos mostra que o estado mental de Nirvána, quando nos tornamos buddhas é o limite de nosso cultivo e, ao mesmo tempo a ultrapassagem de todo o conhecimento que pudermos imaginar pois a mente de um buddha contém toda a sabedoria do Universo, de modo que nem ao menos podemos sonhar com tamanho potencial.
Nunca devemos dizer tolices do tipo: “Eu já fiz tudo o que podia” ou “Mais do que isso não posso fazer” nem tampouco: “Eu gostaria de ajudar, mas isto está além da minha capacidade!” Ao afirmarmos essas coisas, criamos em nossa mente uma limitação cômoda, que nos deixa tranquilos com uma falsa certeza de que não vamos fazer mais nada. Eu vejo muito isso nas diversas mensagens que recebo, tentando me confortar pelas dificuldades que minha Vihara passa. Muita gente afirma que gostaria muito de me ajudar, mas não tem condições! Outras pessoas lamentam que já tenham feito o possível e o impossível sem que isso mudasse minha situação. Fazento esse tipo de declaração, se sentem aliviadas para não fazerem mais nada, porque convencem as próprias mentes de que já atingiram seus limites máximos.
A mim, como monge, cabe afirmar que a mente humana suporta muito mais do que somos capazes de conceber portanto, peço a todos: NÃO LIMITEM O ILIMITADO porque, ao fazerem isto, é para a própria felicidade de vocês que estarão trancando as portas!
Fiquem todos em Paz e protegidos! Namaste!

Reverendo Sunanthô Bhikshú