A todos, Namastê!

Em 1996, quando minha vida era uma total bagunça e descontrole, um amigo sugeriu que eu procurasse conhecer o Buddhismo… Por alguma razão, eu que já havia passado por todas as Religiões e nunca tinha me interessado pelo Ensinamento do Buddha, não sabia mas, ao ter meu primeiro contato com o Mestre DOM KULATUNGA JAYANETTI, ex-Monge Anuruddha, iniciaria uma mudança drástica em minha vida, ocasionando em minha Ordenação Monástica, após muitas transformações.

Sim, foi graças aos Ensinamentos poderosos de meu primeiro mestre, que hoje sou um monge buddhista, como ele previu, numa das muitas e longas conversas que tínhamos, várias vezes por semans! O Venerável mestre me fez aprender a usar o raciocínio, me fez questionar valores, clareou minha mente, apaziguou inquietudes, afastou fantasmas. No momento em que mais precisei, no momento exato em que parecia não haver luz no fim do túnel, foi ele, com sua grande Sabedoria, que me deu rumo, esperança, certeza.

Tantas vezes me chamou de “TOLO”… Tantas vezes me disse que eu era “UM CASO PERDIDO, SEM CHANCE ALGUMA DE DESENVOLVIMENTO” e, logo em seguida, após puxar mais e mais por meu raciocínio, quando finalmente eu respondia com um grau mínimo de sabedoria, ele então me elogiava, sempre com seu modo peculiar: “Ah! Finalmente! Se sabia a resposta, por que não a disse antes??” E sorria com seu sorriso claro e sincero, que jamais vou esquecer!

Dei uma gargalhada, rapidamente repreendida pelo mestre, quando ele me disse que eu, um dia, me tornaria um monge Theravada… Naquele época eu não era mais que um “perdido na vida”, saindo quase todas as noites para beber, usar drogas e fazer sexo inconsequente… A previsão do mestre estava certa! Por cada Ensinamento transmitido eu agradeço ao Mestre Dom Kulatunga Jayanetti, que mostrou que ser monge, ser servidor do Buddha não se limita apenas a usar um manto monástico. Ele teve que deixar seu manto e, quem o conheceu de verdade, sabe a nobreza e grandiosidade das razões que o levaram a fazer isso… Mas nunca deixou de ser Sábio, nunca deixou de viver de acordo com o Ensinamento do MESTRE BUDDHA e é exatamente por isso que o “perdido na vida” se tornou monge. Por ter tido uma base sólida na transmissão dos Ensinamentos. Ao Senhor, Venerável mestre, minha gratidão pública e minha transferência de méritos para que seu atual renascimento seja o último, seguido apenas de sua entrada ao Estado Mental de Nirvana! NAMASKÁR, BHANTÊ!

ABAIXO, DUAS FOTOS DO VENERÁVEL DOM KULATUNGA JAYANETTI – FALECIDO EM MARÇO-2011