(DEAR READER, IF YOU WANT THIS OR ANY OTHER ARTICLE TRANSLATED INTO ENGLISH, JUST LET ME KNOW AND I´LL BE GLAD TO TRANSLATE IT FOR YOU!)

A todos, Namastê!

No que se refere às coisas que dependem basicamente de nossa vontade, se as pessoas optassem por seguir o Sublime e Nobre com a mesma determinação com que se agarram ao vulgar e baixo,  certamente, o Mundo estaria cheio de seres iluminados! O ser humano tem uma enorme atração, um fascínio pelas coisas sujas, inferiores, baixas, medíocres… Deixa-se envolver por elas como os porcos se envolvem pela lama.

Já quando se trata de algo enriquecedor, que favoreça o cultivo mental, a retidão, a seriedade, a nobreza de atitude, tudo isso parece distante, enfadonho, sem graça. Mas, se alguma dificuldade, perigo ou problema insolúvel surge, imediatamente correm como crianças apavoradas, em busca de algum ensinamento que lhes dê segurança, ainda que momentânea.

Me lembro bem que, quando morava na Malásia, num templo de monges do Sri Lanka, sempre que chegava o período das provas finais nas escolas, o Salão do Altar se enchia de estudantes de várias idades, todos pedindo “proteção do Buddha” para tirarem boas notas! Invariavelmente, era eu o escolhido para dar uma palestra, seguida de bençãos e eles ficavam muito assustados ao ouvirem de mim que o Buddha nada podia fazer para ajudar os que não tinham estudado durante o ano… Aos que estudaram, se dedicaram e foram bons alunos, eu só poderia sugerir que mantivessem a calma, a concentração, atentos à respiração assim que chegassem à sala de aula, para manter o foco e despertar a Atenção Plena nas questões da prova. Porém, isto nada adiantaria para os que não estudaram a matéria e não tinham a menor noção do que a prova esperava deles…

O mesmo é válido para as diversas situações de nossa vida. Se as pessoas passam o tempo todo sem preocupação alguma com o CULTIVO MENTAL, sem se purificarem, sem se esforçarem para desenvolver a Atenção Plena, como podem esperar não serem pegas “de surpresa” pelas provações que a vida nos impõe? Não é no momento de desespero que as soluções para a vida das pessoas vão surgir. O Buddha sempre ressaltou a importância do que chamou de BRAHMACARYA (“brahmatchariyá”), o desenvolvimento de uma vida pura, de contenção das vontades, redução do apego aos prazeres sensuais… Somente assim estamos realmente alertas para as armadilhas da vida que, creiam, não são poucas! Mais de seiscentos anos após o Buddha, Jesus Cristo disse algo semelhante: “Orai e VIGIAI!” também significando que somente a MENTE ALERTA pode alcançar bons resultados a nível de Purificação e Nobreza de Atitudes.

Não é preciso ter alto conhecimento da mente humana – Toda vez que uma pessoa chega para mim dizendo: “Amanhã, VOU TENTAR aparecer na sua prática de Meditação!” ou “QUALQUER HORA DESSAS vou lhe procurar para conversarmos sobre Buddhismo…” é fácil notar que a pessoa NÃO VAI fazer nada disso! Quem tem realmente seriedade e compromisso de se purificar, de evoluir mentalmente, de cultivar em si a Sabedoria, não fala em TENTAR, nem deixa para qualquer momento futuro.

Praticar o Buddhismo não é algo “pra qualquer hora dessas”, quando a pessoa não tiver nada mais interessante e atraente para fazer. Cultivo das virtudes é coisa séria, urgente, inadiável e, acima de tudo, um trabalho demorado, constante, paciente, que exige perseverança e muito esforço! Se não houver comprometimento e profundo entendimento da necessidade de começar logo, só a intenção não é suficiente!

Fiquem todos em Paz e protegidos!

सुनन्थो भिक्षु

Reverendo SUNANTHÔ BHIKSHÚ