२५५४ ०६ ०७ Mangalvár 2554-06-07

A todos, Namaste!

DESSANÁ, em Páli, é a palavra normalmente traduzida em inglês como DHARMA TALK (conversa do Dharma) ou PALESTRA DE BUDDHISMO, termo que eu, particularmente, não gosto e prefiro usar o termo em Páli, como ocorre na Ásia.

Muito mais que uma simples palestra, DESSANÁ é parte integrante da Cultura Buddhista pois é uma prática que se reporta aos tempos do próprio Buddha, que dedicou todo o período de 45 anos, após sua Iluminação, a transmitir seus preciosos Ensinamentos em forma de DESSANÁ.

Nós monges não podemos, por Preceito, realizar trabalhos remunerados e vivemos exclusivamente de doações, dependendo da GENEROSIDADE dos que seguem o Buddhismo. Portanto, a ÚNICA MANEIRA DE RETRIBUIR aos que doam, é através de DESSANÁ – a transmissão oral do Dharma, a chamada “doutrina” do Buddhismo. É importante notar, porém, que não cobramos pela transmissão desses Ensinamentos e, quer a pessoa doe OU NÃO, eles são continuamente transmitidos da mesma forma.

Quando os leigos tem o correto entendimento de que, para manter imortais e úteis os Ensinamentos do Buddhismo, nõs monges dependemos das DOAÇÕES FINANCEIRAS, passa a haver uma interação entre a SANGHA LEIGA (Comunidade Buddhista) e a SANGHA MONÁSTICA ou MAHÁ SANGHA (Comunidade de Monges Buddhistas, especificamente). É assim e UNICAMENTE assim, que o Buddhismo permanece vivo e atuante, desde os tempos de seu fundador – o Buddha, até os dias de hoje.

Se, na Ásia, onde há muitos templos buddhistas onde os leigos possam ouvir DESSANÁ, no ocidente, onde os leigos carecem de templos e o número de monges é pequeno, temos a sorte de suprir tais carências usando a tecnologia da Internet para DESSANÁ. Assim, o que venho fazendo através deste Blog tem o mesmo valor do que seria feito no Salão do Altar de um templo asiático, como eu costumava fazer antes de retornar ao Brasil.

Na Ásia, os leigos se sentam em posição respeitosa e, atentamente, ouvem a DESSANÁ, fazendo pergnntas e esclarecendo dúvidas ao final. Esta liberdade total de QUESTIONAMENTO é fundamental no Buddhismo, porque é através de perguntas, por mais tolas que possam parecer, que muitas dúvidas são sanadas e o CULTIVO DA PUREZA MENTAL é favorecido. Se um monge fala, fala, fala mas não encontra retorno, nem comentários nem questionamentos ou críticas, é como se suas palavras batessem nas paredes de uma sala vazia!

No Salão do Altar do templo, onde os leigos ouvem DESSANÁ, pode-se sentir com profundidade a atmosfera pacífica e a energia positiva que nasce da união entre leigos praticantes e nós monges que, com alegria e dedicação transmitimos o Ensinamento milenar que o Buddha nos deixou como herança. Ao final, motivados pela satisfação de terem ouvido e entendido o Dharma, os leigos, com desapego e generosidade, fazem doações – não como pagamento, mas como profundo entendimento da necessidade de manter o templo e a nós monges em condições de continuar ensinando.

Através da Internet, é muito difícil criar estas condições favoráveis, já que eu nem mesmo sei se alguém vai ler o que eu escrevo!Assim, o ideal seria que houvesse mais pessoas interagindo comigo, enviando perguntas, comentários, críticas e – por que não – elogios… Isso sem falar nas DOAÇÕES FINANCEIRAS, que são o resultado prático e realista de que minha missão no Brasil está realmente se solidificando, afinal, é da generosidade de cada um dos leitores de minhas matérias que depende a construção de um templo – o UNIVERSAL DHAMMA VIHARA, onde as pessoas poderão ouvir DESSANÁ, participar e se beneficiar ao vivo dos Ensinamentos do Buddha e de tantas outras atividades que serão realizadas.

Pensem com carinho e cuidado sobre o que acabaram de ler. Esta é mais uma tentativa de sensibilizar a todos sobre a grandeza do projeto que, com sua ajuda, serei capaz de desenvolver! Fiquem todos em Paz e protegidos!

सुनन्थो भिक्षु

Reverendo SUNANTHÔ BHIKSHÚ