२५५४ ०७ १८ Sombár 2554-07-18

A todos, Namaste!

iz a Tradição Theraváda que o Rei Bimbissára, o governante do grande e poderoso Reino de Magadha tinha como a primeira dentre várias esposas uma bela mulher chamada KHÊMA. Era uma mulher lindíssima e o tamanho de sua beleza só era menor que o de sua arrogância! Por ser tão bonita, poderosa e rica, Khêma era uma mulher insuportavelmente difícil… Cheia de caprichos e sempre humilhando as pessoas – principalmente as outras mulheres, era um problema conviver com ela.

O Buddha tinha no Rei Bimbissára um grande amigo e sincero seguidor. Na verdade, foi o próprio Rei Bimbissára quem doou um bosque de bambú, próximo ao palácio real, onde o Buddha passou a acampar com seus monges, sempre que vinham a Rajagriha, capital de Magadha. Foi numa dessas visitas que, de noite, num salão ele estava ensinando o Dharma a um grupo de monges e leigos enquanto Khêma passeava do lado de fora. Curiosa para ouvir o Ensinamento, a rainha cobriu a cabeça e o rosto com seu sári e sentou-se discretamente no fundo do salão, sem deixar que a audiência a notasse. Sua entrada, no entanto, não deixou de ser percebida pelo Buddha que aproveitou o momento para dar a Khêma uma lição!

Sem parar de ensinar, o Buddha usou de seu infinito poder mental para materializar uma linda garotinha, a mais linda que alguém já viu, que se aproximou e começou a abaná-lo com um grande leque. Sempre falando, como se nada estivesse acontecendo, o Buddha fez com que, diante do olhar de todos, a garotinha começasse a crescer, tornando-se, aos poucos, uma linda jovem e depois uma mulher dez vezes mais bonita que a arrogante Khêma!

De seu assento no fundo do salão, a rainha observava aquilo tudo, primeiramente surpresa, depois indignada por ver uma mulher muito mais bonita que ela… Sua surpresa foi ainda maior ao ver a decadência da imagem criada pelo Buddha. A mulher começou a dar sinais de envelhecimento… Os cabelos foram ficando brancos, a pele enrugada, as costas envergadas! Tão de repente quanto surgiu, foi desaparecendo, corroída pela velhice!

Horrorizada, Khêma viu a mulher velha cair por terra, ser devorada por vermes, tornar-se um esqueleto e, por fim, virar pó! Chocada e percebendo que aquela visão horrorosa nada mais era que seu próprio destino, ela se levantou, atravessou a audiência e, chorando muito, caiu aos pés do Buddha! O Mestre a acalmou com palavras de Sabedoria.

No dia seguinte, Khêma pediu ao marido permissão para deixar o palácio e seguir o Buddha como monja. O Rei Bimbissára concodou e, não muito tempo depois, através da prática sincera e Atenção Plena, a monja Khêma tornou-se a líder do grupo de monjas e atingiu a Iluminação.

Fiquem todos em Paz e protegidos!

सुनन्थो भिक्षु

Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ