A todos, Namastê!

 o Sutra (Ensinamento do Buddha) abaixo, nos é explicado um treinamento, dirigido aos monges, porém totalmente válido para praticantes leigos. Trata-se de um exercício de Atenção Plena nas atitudes capazes de purificar a mente, o que, conforme o Buddha sempre nos orientou, conduz à Iluminação. Vamos ao Sutra…

 A N VIII.39

Abhissanda Sutra

O Ensinamento sobre Recompensas

Traduzido para o Português em Linguagem Simples

e com explicações entre parênteses

Por Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ

 Assim me foi transmitido oralmente. Certa ocasião, o Bhagaván disse aos monges de sua Comunidade: “Bhikshús, há essas oito recompensas do mérito, recompensas da habilidade, alimento para a felicidade, de nobre pureza, que resultam na felicidade, conduzem a um estado mental semelhante a um paraíso, conduzem ao que é desejável, prazeroso e atraente, para o bem-estar e a felicidade. Quais oito?

“É o caso em que um nobre discípulo buscou refúgio no Buddha. Essa é a primeira recompensa do mérito, recompensas da habilidade, alimento para a felicidade, de nobre pureza, que resultam na felicidade, conduzem a um estado mental semelhante a um paraíso, conduzem ao que é desejável, prazeroso e atraente, para o bem-estar e a felicidade.

“Além disso, o nobre discípulo buscou refúgio no Dharma (Ensinamento do Buddha). Essa é a segunda recompensa do mérito, recompensas da habilidade, alimento para a felicidade, de nobre pureza, que resultam na felicidade, conduzem a um estado mental semelhante a um paraíso, conduzem ao que é desejável, prazeroso e atraente, para o bem-estar e a felicidade.

“Além disso, o nobre discípulo buscou refúgio na Mahá Sangha (Comunidade de Monges Buddhistas). Essa é a terceira recompensa do mérito, recompensas da habilidade, alimento para a felicidade, de nobre pureza, que resultam na felicidade, conduzem a um estado mental semelhante a um paraíso, conduzem ao que é desejável, prazeroso e atraente, para o bem-estar e a felicidade.

“Agora, há essas cinco dádivas, cinco grandes dádivas – originais, que existem há muito tempo, tradicionais, antigas, sem que tenham sido alteradas, não adulteradas desde o princípio – que não estão sujeitas à suspeita, nunca estarão sujeitas à suspeita, e não são criticáveis pelos Sábios praticantes do cultivo mental e Brahmin (sacerdotes hindús). Quais cinco?

“É o caso em que um nobre discípulo, abandonando o hábito de matar outros seres, se abstém de tirar a vida. Agindo assim, ele se liberta do perigo, se liberta da animosidade,  liberta da opressão um incontável número de seres. Se libertando do perigo, se libertando da animosidade, libertando da opressão um incontável número de seres, ele ganha uma parcela na ilimitada liberdade do perigo, liberdade da animosidade e liberdade da opressão. Essa é a primeira dádiva, a primeira grande dádiva – original, que existe há muito tempo, tradicional, antiga, sem que tenha sido alterada, não adulterada desde o princípio – que não está sujeita à suspeita, nunca estará sujeita à suspeita, e não é criticável pelos Sábios praticantes do cultivo mental e Brahmin (sacerdotes hindús).

“Além disso, abandonando o hábito de tomar o que não lhe foi dado pelo dono, o nobre discípulo se abstém de tomar o que não é dado. Agindo assim, ele se liberta do perigo, se liberta da animosidade, liberta da opressão um incontável número de seres. Libertando do perigo, libertando da animosidade, libertando da opressão um incontável número de seres, ele ganha uma parcela na ilimitada liberdade do perigo, liberdade da animosidade e liberdade da opressão. Essa é a segunda dádiva , a segunda grande dádiva – original, que existe há muito tempo, tradicional, antiga, sem que tenha sido alterada, não adulterada desde o princípio – que não está sujeita à suspeita, nunca estará sujeita à suspeita, e não é criticável pelos Sábios praticantes do cultivo mental e Brahmin.

“Além disso, abandonando a conduta sexual desleal à pessoa com quem se tem um compromisso (no caso de buddhistas leigos), o nobre discípulo se abstém de todo tipo de conduta sexual (monges não podem praticar nenhum tipo de sexo!). Agindo assim, ele se liberta do perigo, se liberta da animosidade, liberta da opressão um incontável número de seres. Libertando do perigo, libertando da animosidade, libertando da opressão um incontável número de seres, ele ganha uma parcela na ilimitada liberdade do perigo, liberdade da animosidade e liberdade da opressão. Essa é a terceira dádiva, a terceira grande dádiva – original, que existe há muito tempo, tradicional, antiga, sem que tenha sido alterada, não adulterada desde o princípio – que não está sujeita à suspeita, nunca estará sujeita à suspeita, e não é criticável pelos Sábios praticantes do cultivo mental e Brahmin.

“Além disso, abandonando a mentira, as palavras sujas e vulgares, a linguagem falsa  que causa discórdia e ilusão, o nobre discípulo se abstém de usar incorretamente as palavras . Agindo assim, ele liberta do perigo, liberta da animosidade, liberta da opressão um incontável número de seres. Libertando do perigo, libertando da animosidade, libertando da opressão para um incontável número de seres, ele ganha uma parcela na ilimitada liberdade do perigo, liberdade da animosidade, e liberdade da opressão. Essa é a quarta dádiva, a quarta grande dádiva – original, que existe há muito tempo, tradicional, antiga, sem que tenha sido alterada, não adulterada desde o princípio – que não está sujeita à suspeita, nunca estará sujeita à suspeita, e não é criticável pelos Sábios praticantes do cultivo mental e Brahmin.

“Além disso, abandonando o uso de qualquer substância que altere o estado puro da mente, o nobre discípulo se abstém de todo tipo de substância que possa causar vício. Agindo assim, ele liberta do perigo, liberta da animosidade, liberta da opressão um incontável número de seres. Libertando do perigo, libertando da animosidade, libertando da opressão um incontável número de seres, ele ganha uma parcela na ilimitada liberdade do perigo, liberdade da animosidade, e liberdade da opressão. Essa é a quinta dádiva, a quinta grande dádiva – original, que existe há muito tempo, tradicional, antiga, sem que tenha sido alterada, não adulterada desde o princípio – que não está sujeita à suspeita, nunca estará sujeita à suspeita, e não é criticável pelos Sábios praticantes do cultivo mental e Brahmin. E essa é a quinta recompensa de mérito, recompensa da habilidade, alimento da felicidade, celestial, resultando na felicidade, que conduz ao paraíso, conduz ao que é desejável, prazeroso e atraente; para o bem estar e a felicidade.”

(Estas cinco dádivas, mencionadas pelo Buddha, são exatamente os Cinco Preceitos – “Pañtcha Shila” – sobre os quais há matéria no Blog. Seguir estes Cinco Preceitos, entregues em Cerimônia especial por nós monges, é a condição para que alguém se torne “oficialmente” um buddhista)

 

भन्ते सुनन्थो भिक्षु

Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ

 

Anúncios