Samyutta Nikaya XXXV.28

Adittapariyáya Sutra

O Ensinamento sobre a Chama das Paixões

 Traduzido para o Português em Linguagem Simples

e com explicações entre parênteses

Por Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ

 Assim me foi transmitido oralmente (एवं मया श्रुतम्) .

m certa ocasião, o Bhagaván estava em Gaya, em Gayassissa, com 1.000 Bhikshús. Lá se dirigiu aos Monges: “Bhikshús, o todo está em chamas. E qual é esse todo que está em chamas? O olho está em chamas, as formas estão em chamas, a consciência no olho está em chamas, o contato no olho está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato no olho como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa – isso também estáem chamas. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

“O ouvido está em chamas, os sons estão em chamas, a consciência no ouvido está em chamas, o contato no ouvido está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato no ouvido como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa – isso também está em chamas. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

“O nariz está em chamas, os aromas estão em chamas, a consciência no nariz está em chamas, o contato no nariz está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato no nariz como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa – isso também está em chamas. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

“A língua está em chamas, os sabores estão em chamas, a consciência na língua está em chamas, o contato na língua está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato no olho como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa – isso também está em chamas. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

“O corpo está em chamas, as sensações táteis estão em chamas, a consciência no corpo está em chamas, o contato no corpo está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato no corpo como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa – isso também está em chamas. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

“A mente está em chamas, os objetos mentais estão em chamas, a consciência na mente está em chamas, o contato na mente está em chamas, e qualquer sensação que surja tendo o contato na mente como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa. Em chamas com o que? Em chamas com o fogo da cobiça, o fogo da aversão, o fogo da delusão. Em chamas, eu lhes digo, com o nascimento, envelhecimento e morte, com a tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero.

“Vendo desse modo, o nobre discípulo se desencanta com o olho, desencanta com as formas, desencanta com a consciência no olho, desencanta com o contato no olho, desencanta com qualquer sensação que surja na dependência do contato no olho – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa.

“Ele se desencanta com o ouvido, desencanta com as formas, desencanta com a consciência no ouvido, desencanta com o contato no ouvido, desencanta com qualquer sensação que surja na dependência do contato no ouvido – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa.

“Ele se desencanta com o nariz, desencanta com os aromas, desencanta com a consciência no nariz, desencanta com o contato no nariz, desencanta com qualquer sensação que surja na dependência do contato no nariz – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa.

“Ele se desencanta com a língua, desencanta com os sabores, desencanta com a consciência na língua, desencanta com o contato na língua, desencanta com qualquer sensação que surja na dependência do contato na língua – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa.

“Ele se desencanta com as sensações táteis, desencanta com os toques, desencanta com a consciência no contato com o corpo, desencanta com o contato no corpo, desencanta com qualquer sensação que surja na dependência do contato no corpo – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa.

“Ele se desencanta com a mente, desencanta com os objetos mentais, desencanta com a consciência na mente, desencanta com o contato na mente, desencanta com qualquer sensação que surja tendo o contato na mente como condição – quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa, nem dolorosa. Desencantado ele se torna desapegado. Através do desapego a sua mente é libertada. Quando ela está libertada surge o conhecimento: ‘Libertada.’ Ele compreende que: ‘O nascimento foi destruído, a vida do cultivo mental foi vivida, o que deveria ser feito foi feito, não há mais vir a ser a nenhum estado.’” (não há mais renascimento porque o praticante se libertou, atingindo o Estado Mental do Nirváña.)

Isso foi o que o Bhagaván disse. Os Bhikshús ficaram satisfeitos e contentes com as palavras do Bhagaván. E enquanto o discurso estava sendo proferido, os 1.000 Bhikshús, através do desapego, foram completamente libertados das impurezas.

भन्थो सुनन्थो भिक्षु

Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÙ


“Ninguém tem tão pouco a ponto de não poder doar nada. Toda e qualquer doação é fundamental para a continuidade de minha missão no Brasil – informe-se sobre como colaborar.”