A todos, Namaste!

Ainda com base na visão errada do Bhikshú Arittha, o Buddha continua explicando o Dharma aos monges. Desta vez, ele compara o Dharma a uma balsa, usada por um homem para atravessar a correnteza de um rio:

 Bhagaván então continuou: “Bhikshús, eu mostrarei a vocês, através da símile de uma balsa, com o propósito de atravessar a correnteza para alcançar a outra margem. Ouçam, Bhikshús, atentamente o que vou dizer.”

“Sim, Vantê!” – responderam os Bhikshús.

“Suponham, Bhikshús, um viajante pela estrada, que vê uma vasta extensão de água e, na margem de cá, há perigos e medo, enquanto que a margem oposta é segura e livre de perigo. Mas, não há bote para atravessar, nem ponte que vá de um lado ao outro. Então, o homem pensa: “Esta é uma vasta extensão de água e esta margem e perigosa e amedrontadora. Mas não há bote nem ponte ligando uma margem à outra. Mas, se eu juntasse galhos, gravetos e folhagens e os amarrasse, fazendo uma balsa?” Flutuando na balsa, remando com as mãos e batendo os pés, ele atravessaria com segurança para a outra margem. Lá chegando, ele pensa: “Esta balsa realmente me foi útil. Transportado por ela, cheguei em segurança a esta margem. Acho que vou carregá-la sobre minha cabeça ou nos meus ombros por onde eu for.

“O que vocês acham, Bhikshús? Fazendo desta forma, o homem está agindo de modo correto?

“Não, Vantê!”

“Então, Bhikshús, o que deveria ele fazer com a balsa? Uma vez que tivesse atravessado para a outra margem, ele pensaria: “Esta balsa realmente me foi útil. Transportado por ela, cheguei em segurança a esta margem. Agora, devo deixá-la aqui na terra seca ou simplesmente deixar que flutue na água e assim, vou para onde quiser.” Agindo assim, Bhikshús, o homem faz o que deveria ser feito com a balsa.”

“Da mesma forma, Bhikshús, eu mostrei a vocês o Ensinamento com a símile da balsa: com o propósito de atravessarem, não de se apegarem.”

“Vocês, Bhikshús, que entendem o Ensinamento da símile da balsa, devem deixar ir até mesmo os bons Ensinamentos. Quanto mais os falsos!”

भन्ते सुनन्थो भिक्षु

Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ

 TODO TIPO DE DOAÇÃO é sempre muito bem-vindo e necessário. Qualquer pessoa pode exercitar a prática da virtude da generosidade, doando alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal etc.

Doações financeiras, de qualquer valor, podem ser feitas através do sistema PAYPAL deste Blog, ou depósito bancário:

BANCO BRADESCO
(SÃO FRANCISCO DE PAULA – RS)
AGÊNCIA: 0932 6
CONTA POUPANÇA: 1001036-5
VIA 01
TIPO 00