A todos, Namaste!

Continuando sua explicação aos Bhikshús, o Buddha fala sobre a ansiedade que criamos para nós mesmos através de nossas formações mentai, nossos pontos de vista incorretos, aos quais nos apegamos:

Ansiedade quanto às coisas irreais

 

uando o Bhagaván disse isto, um certo Bhikshú perguntou:

”Vantê, pode haver ansiedade quanto a irrealidades externas?”

 “Pode haver, Oh Bhikshú!” – respondeu o Bhagaván. “Neste caso, Bhikshú, alguém pensa: “Ah! Eu tinha isso!” “Ah! Eu não tenho mais isso!” “Ah! Eu queria ter isso de novo!” “Ah! Mas eu não consigo ter de novo!” Então, a pessoa fica angustiada, fica deprimida e lamenta. Bate no peito, chora amargamente e a depressão toma conta dela. Portanto, Bhikshús, há ansiedade quanto às coisas irreais externas.”

“Mas, Vantê, pode haver ausência de ansiedade sobre as irrealidades externas?”

“Pode haver, Oh Bhikshú.” – respondeu o Bhagaván. “Neste caso, Bhikshú, alguém pensa: “Ah! Eu tinha isso!” “Ah! Eu não tenho mais isso!” “Ah! Eu queria ter isso de novo!” “Ah! Mas eu não consigo ter de novo!” Então, a pessoa não fica angustiada, não fica deprimida, não se lamenta.. Não bate no peito, não chora e a depressão não toma conta dela. Portanto, Bhikshús, pode não haver ansiedade quanto às coisas irreais externas.”

“Vantê, pode haver ansiedade quanto às irrealidades internas?”

“Pode haver, Oh Bhikshú.” – respondeu o Bhagaván. “Neste caso, Bhikshú, alguém tem este ponto de vista: “O Universo é o Ego. É isso que eu serei após a morte: permanente, estável, eterno, imutável. Eternamente o mesmo, eu ficarei para sempre nesta condição.” A pessoa então ouve o Completamente Perfeito (o Buddha) explicar seu Ensinamento (o Dharma) que remove todos os campos da visão, todos os preconceitos, todas as obseções, dogmas e dualidades, para acalmar todos os processos de formação kármica, para a eliminação de todo substrato da existência, para extirpar todo apego, para a dissipação, a cessação, o Estado Mental do Nirváña. A pessoa então pensa: “Eu serei aniquilado, eu serei destruído! Eu não mais existirei!” Então, se angustia, se deprime, se lamenta. Bate no peito e chora amargamente e a depressão toma conta dela. Portanto, Bhikshú, pode haver ansiedade quanto às irrealidades internas.”

“Mas, Vantê, pode não haver ansiedade quanto às irrealidades internas?”

“Pode haver, Oh Bhikshú.” – respondeu o Bhagaván. Neste caso, alguém não tem este ponto de vista: “O Universo é o Ego. É isso que eu serei após a morte: permanente, estável, eterno, imutável. Eternamente o mesmo, eu ficarei para sempre nesta condição.” A pessoa então ouve o Completamente Perfeito (o Buddha) explicar seu Ensinamento (o Dharma) que remove todos os campos da visão, todos os preconceitos, todas as obseções, dogmas e dualidades, para acalmar todos os processos de formação kármica, para a eliminação de todo substrato da existência, para extirpar todo apego, para a dissipação, a cessação, o Estado Mental do Nirváña. A pessoa então não pensa: “Eu serei aniquilado, eu serei destruído! Eu não mais existirei!” Então, se angustia, se deprime, se lamenta. Bate no peito e chora amargamente e a depressão toma conta dela. Portanto, Bhikshú, pode não haver ansiedade quanto às irrealidades internas.”

MEU COMENTÁRIO: Nossos conceitos, nossas formações mentais, nossas ideias  e experiências, quando imutáveis, inflexíveis e arraigados, se tornam obstáculos para o cultivo mental. Quanto mais formos livres de opiniões ferrenhas, mais fácil será a eliminação de nosso apego, tanto às coisas materiais quanto às mentais.

O Nirváña (ou Nibbána), que muitas pessoas pensam ser um paraízo físico, na verdade, é um ESTADO MENTAL, onde há ausência total de conceito, ausência total de DUALIDADE e pontos de vista opostos. Só quando não há mais conceito algum, apego algum a qualquer que seja a ideia – incluindo aqui o apego à ideia de se tornar Iluminado(a), podemos atingir o Estado Mental do Nirváña.

भनते सुनन्थो भिक्षु

Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ

TODO TIPO DE DOAÇÃO é sempre muito bem-vindo e necessário. Qualquer pessoa pode exercitar a prática da virtude da generosidade, doando alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal etc.

Doações financeiras, de qualquer valor, podem ser feitas através do sistema PAYPAL deste Blog, ou depósito bancário:

BANCO BRADESCO
(SÃO FRANCISCO DE PAULA – RS)
AGÊNCIA: 0932 6
CONTA POUPANÇA: 1001036-5
VIA 01
TIPO 00