A importância do Buddha no Hinduísmo

(Texto, originalmente em Inglês, de autoria do Sr. SUBHAMOY DAS. Traduzido para o Português, acrescentando comentários em Português, por Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ)

o Hinduísmo, o Buddha é geralmente mencionado como o 9º Avatar (renascimento) do Deus Vishnú (o deus da renovação e reconstrução do Universo). Celebramos o “Vaissakhi Púrñimá” ou “Buddha Jayanti” (Nascimento, Iluminação e Morte do Buddha) no dia 6 de maio de 2012, com esta matéria sobre a relação do Buddha com o Hinduísmo, seu movimento reformatório e o refinamento que deu à crença Hindu.

O Buddha, como sabemos, começou sua meditação como um Hindu. Se iluminou apenas para denunciar o Hinduísmo e emergir como fundador de uma nova religião (o Buddha afirmou que não veio fundar nada. Apenas descobriu um Caminho). Portanto, para entender plenamente o Buddhismo, não devemos separá-lo do Hinduísmo: enquanto que, ao mesmo tempo, devemos vê-los como crenças separadas. O estilo de vida do Buddha foi o “significado dourado” e um alívio para os estigmas pagãos e o sistema de castas que prevalecem no Hinduísmo. (o Buddha sempre rejeitou a idolatria e o sistema de castas na Índia)

Jesus Cristo teve com o Judaísmo, a mesma relação de Buddha com o Hinduísmo. Ambos, Hinduísmo e Judaísmo, são tradições étnicas e não-missionárias e são caracterizadas por um elemento segregacionista entre castas e raças, diferindo do Buddhismo e Cristianismo. Swami Kriyananda (um grande Guro do Hinduísmo) compara a posição do Buddha em relação ao Hinduísmo com a de Martin Luthero com a Igreja Católica Romana: “Ambos os homens foram reformistas e a estrutura reformada por cada um não foi suplantada por seus Ensinamentos. A Igreja Católica sobrevive até hoje e tem em vários aspectos se fortalecido com as reformas de Lutero. O Hinduísmo, similarmente, foi purificado e fortalecido pelos Ensinamentos do Buddha e não foi, de modo algum, substituído por eles. A maioria dos Hindus atuais, vê o Buddha como um dos Avatares de si próprios ou um renascimento divino.”

A relação do Buddha com o Hinduísmo é tão próxima que fica fácil confundir o Buddhismo com o Hinduísmo. As duas religiões (o Buddhismo não é realmente uma Religião) tem conexões muito fortes, e, mesmo assim, são distintas. Isto porque o movimento reformista do Buddha fundou uma nobre religião, destilando o Hinduísmo e oferecendo um senso comum de abordagem para a melhoria pessoal, a qual as pessoas podem facilmente assimilar.

Swami Kriyananda, em seu livro “O Modo Hindu de Despertar”, perspicazmente, observa que os Ocidentais fazem confusão entre estas religiões tão proximamente conectadas e a razão pela qual erroneamente consideram o Buddhismo e não o Hinduísmo a religião da Índia:

“O Hinduísmo é frequentemente omitido das listas das grandes religiões do mundo. Todo mundo sabe, é claro, que o Hinduísmo exist. Mesmo assim, está confuso nas mentes das pessoas com o que elas pensam sobre Buddhismo. Isto porque o Buddhismo se encaixa no que as pessoas pensam que uma religião deve ser…

“Mesmo que um ocidental tenha boas intenções em relação à Índia… ele pode ver o Hinduísmo como detentor dos piores exemplos de Paganismo. Não é de se admirar, então, que muita gente veja o Buddhismo como o mais nobre representante das religiões da Índia e voltem-se para ele no momento de mencionar uma religião indiana entre as maiores religiões do mundo.

“Enquanto que o Buddhismo é relativamente simples, o Hinduísmo é complexo… O Buddhismo parece, especialmente para os Ocidentais, oferecer uma forma benigna e palpável da experiência com religiões indianas. A maioria dos estudantes de religião sabe que o Buddha tentou reformar algumas das práticas antigas; pensam nele como alguém que trouxe ordem e sofisticação para o caos primitivo. Quando listam as maiores religiões do mundo, pensam em si próprios respeitando a religião da Índia, à qual chamam de Buddhismo. A maioria deles não tem consciência deste erro.”

O sistema de castas do Hinduísmo, define a posição social de uma pessoa através do nascimento dela. O Buddha condenou o sistema de castas e disse que é o karma (boas ou más ações) de uma pessoa e não o nascimento que deve determinar a casta à qual pertence. Ele introduziu a ideia de colocar a moralidade e a equanimidade em um patamar mais alto que a genealogia de uma pessoa.

Os Hindus acreditam que o propósito do avatar do Buddha, como todos os avatares divinos, foi o de restabelecer o Dharma (Lei que rege todas as coisas do Universo), onde “adharma” (anti-dharma) havia prevalecido. O Buddha é reconhecido em algumas seitas hindus, como um renascimento do Deus Vishnú ou até mesmo como um Hindu. Isto porque a visão teística do Buddha não é contrária à do Hinduismo, mas sim, um passo adiante. Isto também é porque a natureza do Hinduísmo é de que todas as crenças são reconhecidas como diferentes facetas de uma Verdade Definitiva. É interessante notar que a palavra “Nirváña” – usada pelo Buddha para descrever um estado mental de felicidade permanente – é exatamente o mesmo termo dos Vêdas (as escrituras sagradas do Hinduísmo).

A grande unificação do Buddhismo com o Hinduísmo ainda prevalece no Nepal, o local de nascimento do Buddha. Ironicamente, o Nepal é a única nação apenas hindu, onde as pessoas não consideram as duas religiões como diferentes entre si.

भन्ते सुनन्थो भिक्षु

Vantê SUNANTHÔ BHIKSHÚ

TODO TIPO DE DOAÇÃO é sempre muito bem-vindo e necessário. Qualquer pessoa pode exercitar a prática da virtude da generosidade, doando alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal etc.

Doações financeiras, de qualquer valor, podem ser feitas através do sistema PAYPAL deste Blog, ou depósito bancário:

BANCO BRADESCO
(SÃO FRANCISCO DE PAULA – RS)
AGÊNCIA: 0932 6
CONTA POUPANÇA: 1001036-5
VIA 01
TIPO 00